fhs.gif
whatsapp1.png


      O que é Sistema Eletrônico de Segurança ?
      É um conjunto de equipamentos e dispositivos técnicos que instalados em um determinado local, residencial ou comercial, controlam, de acordo com o projeto estabelecido pelas necessidades do cliente (construção, atividade e recurso), fatos que possam sugerir risco para as vidas e os bens das pessoas que ali residem, trabalham ou frequentam.

      Objetivo
      Detectar e avisar por meio de sinais, aos responsáveis (proprietários, central de monitoramento interna e externa ou órgãos públicos competentes) alguma irregularidade, de forma que sejam tomadas as devidas providências. É um sistema preventivo.

      Tipos
      Os sistemas eletrônicos de segurança envolvem: centrais de alarmes, controle de acesso, circuito fechado de televisão  monitoramento de alarmes, vídeo porteiro, entre outros. Sendo que, cada um deles possui seus equipamentos próprios, como: sensores infravermelhos, magnéticos, redes pulsativas e sensoras, câmeras fixas ou móveis, monitores, vídeos, computador central, microcontroladores, leitores de cartão, código de barra, software gerencial, etc..

      Tecnologia
      Cada vez mais sofisticada, favorece os sistemas eletrônicos de segurança, desenvolvendo controles mais eficientes do local onde o equipamento está instalado, como também, na transmissão de sinais com a central local ou remota de monitoramento. Estão disponíveis atualmente sistemas de alarme com ou sem fio, sendo que a central sem fio, funciona por sinais de rádio frequência.
      Todo local sob controle de um sistema eletrônico de segurança pode ser operado pelo seu usuário, que, através do painel principal e de uma senha, habilita ou desabilita partes do imóvel de acordo com a estadia de pessoas no local. Ele pode, por exemplo, deixar acionado apenas sensores perimetrais quando está dentro do imóvel, ou desativar determinadas áreas dentro do imóvel, como também saber, quando o sistema estiver ativado, que área foi violada.

      A Importância de um bom Projeto de Sistema Eletrônico de Segurança
      Um bom projeto de sistema eletrônico de segurança é definido ao se realizar uma boa análise de risco do imóvel. É nessa fase que se considera as necessidades de segurança do cliente. Caso essa análise seja superficial ou errônea, todo o projeto do sistema pode ficar prejudicado. Daí, o fato da análise de risco ser fundamental para o projeto.
      Na suposição de que a análise de riscos não seja bem realizada, o projeto poderá ser falho, sendo inadequado ao local, ao usuário ou ao tipo de atividade exercida. Poderá então haver falhas de iluminação, de sensores inadequados, da falta de sensores em determinados lugares e de falha de transmissão de sinais de comunicação, entre outros. Logo, o grande culpado do problema será o equipamento eletrônico, que por fim, ficará desacreditado e desvalorizado, enquanto o verdadeiro problema estava no mau dimensionamento das necessidades existentes, ou seja, uma análise de risco inadequada.
      É de extrema importância que o cliente que esteja adquirindo um sistema eletrônico de segurança, relacione todos os pontos vulneráveis de seu imóvel, bem como ocorrências que podem ter existido, para que junto com o consultor da empresa Virtuas e estude o melhor projeto para o local.
      Claro que todo projeto está relacionado aos recursos financeiros que o cliente está disposto a investir, neste caso, o projeto tem que dar cobertura completa ao local, sem que o transforme, desnecessariamente em uma fortaleza.
      Para a realização de um bom projeto, o cliente deve ainda estudar com a empresa: os recursos técnicos existentes (tecnologia a ser utilizada,  alarmes, CFTV, controle de acesso, etc.) e a infra-estrutura do local (tubulações disponíveis e exclusivas por onde serão passados os fios que ligam os sensores a central de alarme). Este estudo deve resultar em uma planta projetando todo o sistema na residência, de forma que fique bem claro ao cliente o que será feito.

      O cliente também tem que estar atento e exigir
    • Contrato de compra do serviço, equipamentos e materiais de instalação;
    • Saber quanto tempo demora a instalação e combinar horários e dias disponíveis e que sejam permitidos, em caso de condomínios, para realizar o trabalho de instalação;
    • Qual programação será feita e como irá funcionar;
    • Realizar teste do sistema;
    • Fazer treinamento com todas as pessoas da residência;
    • Quando e em quanto tempo serão realizadas as manutenções do sistema.
    • Verificar as qualificações da empresa que está contratando e outros projetos por ela já realizados;
    • Verificar a qualidade dos produtos a serem comprados e instalados (fabricantes e procedência);
    • Verificar sempre se o custo está de acordo com o produto e seu desempenho;
    • Certifique-se que será realizado um projeto e se a empresa tem pós-venda (manutenção e monitoramento);
    • Todo sistema eletrônico deve pertencer a um plano integrado de segurança (Equipamento, treinamento, normas de conduta, rotinas, etc.)

      Cuidados recomendados pela ABESE para escolha do Sistema e Empresa
      Procurar uma empresa idônea, legalmente constituída, que garanta a procedência dos equipamentos e acessórios utilizados para instalação do sistema e, principalmente, que assuma compromisso pós-venda, firmado em contrato com o cliente.
      A empresa deve enviar um consultor técnico ao local da instalação para fazer a análise de riscos do local. É preciso verificar a vulnerabilidade do imóvel para posteriormente sugerir quais equipamentos de segurança são mais apropriados para aquele tipo de planta e localização geográfica. Nesta etapa, é indispensável a avaliação do imóvel por um profissional.
      O contratante precisa certificar-se de que a prestadora de serviços possua bom referencial de outros clientes/imóveis do mesmo porte já atendidos por ela, e que estejam perfeitamente satisfeitos e adaptados aos equipamentos.
      Ao avaliar o custo, não se deve levar em consideração somente o preço do serviço em si, mas a relação custo-benefício oferecida pelo equipamento. O consumidor precisa estar atento a detalhes, como a idoneidade da empresa e as cláusulas do contrato, como a garantia e a manutenção do equipamento incluídas no pacote.
      Outro detalhe importante é checar se o contrato de prestação de serviço é coerente com a proposta apresentada no início da negociação e se o equipamento, preço e serviços prestados correspondem ao planejado.
      Após a instalação, é necessário exigir que um representante da empresa treine os freqüentadores do imóvel para a correta utilização dos equipamentos, visando o aproveitamento máximo de suas capacidades.
      É indispensável o teste periódico do funcionamento do sistema de segurança, seja semanal, quinzenal ou mensalmente. Mesmo que o equipamento possua monitoramento, é necessário que o usuário faça o teste manual periodicamente. Desta forma, é recomendado consultar a empresa sobre os prazos de atendimento técnico em caso de verificar algum problema no sistema

      Apagão
      O Sistema de segurança funcionará durante o apagão? Por quanto tempo o equipamento funcionará? A comunicação entre o sistema (terminais de alarmes) e a central de monitoramento 24 horas estará garantida? Afinal, a segurança do imóvel e das pessoas continuará eficiente durante a interrupção de energia?
      Essas dúvidas vem surgindo nos usuários de sistemas eletrônicos de segurança. E podemos dizer que os equipamentos e as centrais de monitoramentos estão preparadas para esse fato, caso ele aconteça. Aliás, por se tratar de um equipamento de segurança, o fator interrupção de energia é um item já previsto nos equipamentos e nas instalações de sistemas eletrônicos de segurança.
      Essa garantia de funcionamento está relacionado a dois itens existentes nos equipamentos: Nas centrais de monitoramento 24 horas, os NOBREAKS e GERADORES de energia, e nos terminais de alarmes instalados nas residências, as BATERIAS. Assim toda a rede de sistemas eletrônicos de segurança fica mantida, no caso de falta de energia.
      A maior preocupação é com o estado das baterias dos terminais de alarmes que ficam no cliente. Sr. Mário Tavares, Diretor Presidente da ABESE, comenta em entrevista à revista Proteger: “Existe a necessidade de verificação das baterias dos equipamentos que tenham nobreak, fazendo testes, substituindo aquelas que estejam com a validade vencida, mesmo que ainda estejam em plena carga. Elas serão submetidas a descargas e recargas contínuas que podem danificar ou encurtar o tempo de vida, pois essa não é a programação delas. As centrais de monitoramento que têm mais cuidado com o parque instalado, monitoram os sistemas para verificar se as baterias estão descarregadas, assim elas têm condição de informar o cliente da situação. Até recomendo que os clientes perguntem para suas empresas de monitoramento se elas estão verificando ou não a condição da bateria. Por exemplo, os alarmes usam normalmente baterias de 3,5A ou 7A. A de 3,5A está mais suscetível a apresentar defeito no apagão, porque vai atender as primeiras 4 horas ,mas se a descarga for grande talvez não consiga receber nas horas seguintes a carga necessária para sofrer mais quatro horas de interrupção. A recuperação dela estará comprometida. Já uma bateria que esteja bem dimensionada , provavelmente vai descarregar e receber carga normalmente, se as faltas não forem exageradas.” . . . “se a bateria estiver com carga baixa e faltar energia, pode provocar muitos disparos falsos de alarmes porque diversos detectores necessitam de alimentação mínima”. Dessa forma é fundamental que o cliente esteja sabendo se sua bateria está válida e funcionando corretamente. Para isso, deve-se fazer uma verificação das baterias de acordo com os procedimentos escritos no manual de instalação e operação da central de alarme instalada em sua casa e em caso de dúvida, entrar em contato com sua operadora para o esclarecimento.
      Já, quanto aos sinais de comunicação entre os terminais de alarmes e as centrais de monitoramento 24 horas, não deve ocorrer problema algum, uma vez que os mesmos utilizam a linha telefônica para fazer o protocolo de comunicação, e as operadoras de telefonia possuem autonomia de funcionamento.
      Podemos dizer então que, observadas as questões acima citadas e tomando os cuidados necessários, os sistemas eletrônicos de alarmes funcionarão normalmente no caso de ocorrer o “apagão”, garantindo assim a preventiva segurança do lugar e das pessoas.

      Edifícios, Condomínios, Residências e Comércios
      As normas de segurança a serem adotadas devem ser decididas em assembléia de condôminos, com ampla difusão para todos os moradores do prédio, sob pena de perderem a eficiência;
      A prevenção é a melhor medida a ser tomada e somente com boas orientações e informações podemos nos prevenir, com isso melhoramos a nossa segurança: pessoal, familiar e comercial
    • É   importantíssimo   um sistema   de segurança com: iluminação  em  todas  as  entradas,  iluminação e instalação   de câmeras  nos principais pontos sensíveis do condomínio e alarmes com centrais de monitoramento;
    • O acesso de estranhos deve ser precedido das cautelas disponíveis (Identificação de todas pessoas; Confirmação e identificação visual de visitas antes de sua efetiva entrada, área de recebimento de materiais que impeçam o contato e a entrada de estranhos, etc);
    • As entradas - social, de serviço e garagem, devem ser suficientemente iluminadas, evitando objetos (obras de arte, decoração, jardinagem) que obstruam ampla visão do local à distância;
    • Os acessos aos apartamentos devem ser dotados de boa iluminação, controlada do interior da residência. As portas devem ser sólidas e dotadas de "olhos mágicos" ou outros dispositivos que permitam a observação da área externa;
    • O interfone é fundamental para a comunicação de situações de emergência (presença de suspeitos ou de indivíduos indesejáveis em seu "hall" de entrada, etc);
    • Alerte o porteiro para somente abrir o portão após identificar o visitante e, se necessário, falar com ele pelo interfone de dentro da cabine da portaria. Avisar ao morador sobre a conveniência da entrada ou não da pessoa. Caso o morador tenha alguma dúvida sobre a visita, peça a ele que desça à portaria para esclarecimento.
    • Nos casos de entrega de flores, pizzas etc, solicitar que um dos moradores do apartamento se dirija à portaria para receber a encomenda. Nunca deixar o entregador entrar no prédio e fazer a entrega na residência. Caso seja possível, fazer na entrada do prédio uma caixa de recepção, com abertura especial para recebimento de encomendas.
    • Quando o morador estiver entrando ou saindo do edifício, somente abrir o portão após verificar se não há pessoas suspeitas nas proximidades. A entrada de veículos deve ser precedida de identificação e anotação da placa em caderno próprio. Como sugestão, poderá ser feito um sistema de identificação através de adesivo fluorescente a ser colado no vidro do veículo.
    • Nos horários de limpeza das áreas externas e de recolhimento do lixo, todas as entradas do edifício devem estar fechadas.
    • O porteiro nunca deverá abandonar seu posto para atender estranhos no portão. A mesma orientação vale para entrada das garagens. Nunca abrir o portão da garagem sem a identificação do motorista.
    • A entrada de funcionários de prestadoras de serviços, como operadoras de telefonia, concessionárias de energia, correios etc, deve ser precedida de identificação e anotação da carteira de identidade e funcional do técnico ou operário. Antes de permitir a entrada, o morador deverá ser consultado sobre a visita e o atendimento. Este funcionário deverá, sempre que possível, ser acompanhado por empregado do condomínio até a residência solicitada.
    • Recomenda-se o uso de crachá para todos os visitantes. O porteiro não pode se impressionar com a aparência dos visitantes. Evitar conversar em grupos na portaria ou na porta da garagem. O trabalho na portaria deve ser de atenção e descrição. Evitar comentários dentro e fora do edifício, com pessoas estranhas, sobre a situação financeira dos moradores, bem como locais de trabalho, viagens, horários, hábitos, telefones comerciais e residenciais etc.
    • Não comente sua viagem perto de pessoas estranhas. Comunique sua ausência a um vizinho de confiança, fazendo contato com este constantemente para saber se está tudo em ordem.
    • Em ausências prolongadas, peça a um parente ou vizinho para visitar sua casa, para demonstrar a presença de pessoas, abrir janelas, regar plantas e recolher correspondências. Evitar o aspecto de abandono. Suspenda a entrega dos jornais, revistas e gêneros alimentícios.
    • Não deixe jóias ou dinheiro dentro de casa, mesmo que seja dentro de um cofre. Utilize cofres de bancos.
    • Só deixe a chave de sua residência com pessoas de absoluta confiança. Evite colocar cadeados do lado externo do portão. Isto poderá denunciar a ausência de seus moradores. Desligue a campainha, assim você deixa em dúvida quem a quiser usar para apenas verificar se o proprietário está em casa.
    • Feche as portas e janelas com trincos e trancas. Reforce a porta da frente com fechaduras auxiliares, de preferência as do tipo fechadura quádrupla. Instale grades nas janelas, alarmes, olho mágico etc, e habitue-se a usar estes recursos à noite ou quando a casa estiver vazia. Se possível, instale um aparelho de fotocélula para acender e apagar as luzes externas à noite e de dia, respectivamente.
    • Combinar com vizinhos códigos de emergência para sinalizar situações de perigo. Antes de abrir o portão de sua residência, principalmente à noite, procure verificar nas imediações se não há nenhum indivíduo em atitude suspeita.
    • Se possuir animal (cachorro) deixá-lo, durante a noite, solto no quintal. Ao sair de viagem, procure carregar seu veículo dentro da garagem, evitando que pessoas estranhas percebam que você irá se ausentar.
    • Não abra a porta para receber pessoas que se apresentam para oferecer serviços não solicitados como encanadores, eletricistas, empregadas domésticas etc. É útil o uso do interfone.
    • As crianças devem ser orientadas para não abrir a porta para estranhos, e nem pensar em trazê-los à sua casa sem autorização.
    • Contrate empregados somente quando souber de seus antecedentes ou tiver referências, procurando sempre saber seu endereço ou de seus parentes.
    • Suspeitando que algum indivíduo estranho se encontre dentro de sua residência, não entre. Chame sempre a Polícia Militar através do telefone 190.
    • Tenha anotado em local seguro o número de série de seus bens (TV, vídeo, som, relógios, eletrodomésticos etc). Em caso de furto transmita estes dados ao Policial Militar que atender a ocorrência. As chances de recuperá-los serão maiores.
    • O ideal é que o medidor de água e luz fique do lado de fora de sua casa (quintal). Se não for possível, peça aos funcionários que se identifiquem mostrando os documentos. Comprove junto à empresa correspondente, caso venha a desconfiar da identificação. Peça para seu vizinho ficar olhando do lado de fora enquanto estiver sendo feita a verificação. Em caso de dúvida não deixe entrar. Esse cuidado evitará surpresas desagradáveis.
    • Não deixe recados ou notas escritas na porta quando se ausentar. Tenha sempre à mão um caderno de telefones úteis a serem acionados em caso de emergência (Unidade Policial mais próxima, Bombeiros, Serviços de Ambulância, familiares etc).

      Segurança de Seu Patrimonio
      Além de utilizar os produtos vendidos pela Virtuas, seguir todas as recomendações da empresa para as manutenções preventivas dos sistemas de segurança eletrônica, algumas dicas de comportamento seguro podem ajudar a preservar e garantir a integridade do patrimônio do cliente.
      Chave de ouro: Oriente os empregados para manter os portões e as portas sempre fechadas durante os serviços domésticos, incluindo lavagem de tapetes, calçadas e imediações, deixando sempre a chave da porta com alguém dentro de casa.
      Observe ao redor: É importante observar sempre se há alguém ou algum grupo de pessoas ou carros suspeitos ns proximidades. Os mesmos cuidados devem ser tomados quando a pessoa chegar a sua casa. Se notar algo estranho, siga em frente e chame a polícia.
      Crianças sob controle: Oriente e vigie as crianças para que não abram a porta para pessoas estranhas sem a aprovação de um adulto.
      Casa iluminada: A iluminação total em volta da residência dificulta o acesso de estranhos. Mantenha a casa sempre iluminada e com árvores podadas ao redor.
      Saída de emergência: Sempre que possível, reforce as trancas e alarmes nas portas e janelas. A dificuldade de acesso inibe visitas indesejadas.
      Viagem segura: Sempre que for viajar, solicite a visita técnica de uma equipe da Virtuas para verificar o sistema de segurança, para que seu patrimônio fique seguro. Também é recomendado pedir que um vizinho de confiança mantenha a casa sob vigilância durante a ausência dos moradores.

      Para toda sua família
    • Quando comprar ou alugar uma casa ou apartamento, troque as fechaduras;
    • Coordene com seus vizinhos o estabelecimento de procedimentos ou atitudes frente a uma possível emergência, como chamar a polícia etc...
    • Deixe em um lugar visível todos os números telefônicos dos serviços de emergência;
    • Não entregue dados pessoais por telefone nem interfone;
    • Antes de entrar em sua casa ou apartamento, atente se há pessoas estranhas no entorno. Perante a dúvida, distancie-se do lugar e chame a polícia;
    • Se ao chegar à sua casa encontrar a porta forçada ou aberta, não entre. Comunique-se com a polícia.
    • Quando se ausentar, faça uso de todas as medidas de segurança de que disponha, ainda que só seja por alguns minutos;
    • Não guarde documentos assinados em seu talonário de cheques;
    • Guarde jóias valiosas e dinheiro vivo em uma caixa forte chumbada, e preferencialmente, em um lugar oculto e seguro;

      Para seus filhos
    • Ensine-lhes dados de identidade básicos que lhes serão de utilidade ante qualquer emergência (nome, sobrenome, domicilio, telefone);
    • Não se esqueça de advertir-lhes que não abram a porta nem entreguem informações a estranhos;
    • Insista em que não aceitem nada de um desconhecido: convites, doces nem presentes;
    • Advirta-lhes sobre os riscos de “pedir carona” e subir ao automóvel de um estranho;
    • Explique-lhes como proceder perante situações de emergência como: estranhos no exterior, números de emergência, etc.;
    • Ensine-lhes a importância de nunca informar quando os pais não estejam em casa, senão dizer que não podem responder ao telefone ou porta;
    • Utilizando um telefone de brinquedo, ensine-lhes como discar a telefones de emergência.

         Se mora em casa
    • Preocupe-se que o número de sua casa seja facilmente visível de dia e de noite, de modo que a polícia e os serviços de segurança não percam tempo procurando o lugar em caso de emergência;
    • Procure iluminar toda a casa, especialmente o exterior, evitando deixar cantos escuros que permitam aos delinquentes ocultarem-se;
    • Pode periodicamente árvores, arbustos e plantas, mantendo as mais próximas à sua casa a uma altura que impeça a alguém ocultar-se nelas;
    • Reduza ao máximo o tempo de abertura e fechamento de portões. Caso sejam portões automáticos, sempre espere até que se feche completamente antes de ir ou descer de seu veículo.
         
        Se mora em um apartamento

    • Solicite em reunião sindical que não se permita o acesso a ninguém sem seu prévio consentimento;
    • Não abra a porta ou o porteiro elétrico sem antes verificar quem está chamando. Se for necessário, instale um “olho mágico” na porta principal e use-o sempre antes de abrí-la;
    • Coloque fechadura dupla, entregando chaves só a pessoas de confiança;
    • Ainda que viva em apartamento, quando sair deixe fechadas as janelas, especialmente aquelas que dão para varandas ou sacadas;
    • Não dê informação de confiança a pessoal do edifício (zeladores, faxineiros, etc.).

      Para quando sua casa estiver desocupada
      Utilize programadores (timers controladores) para que distintas luzes se acendam e apaguem em forma automática, assim como também rádios e televisores;
    • Disponha de uma secretária telefônica que evite longos rings, e certifique-se de que o volume do telefone fique baixo, de maneira que não se evidencie sua ausência;
    • Suspenda o envio de jornais e/ou revistas. O acumulo destes periódico em sua porta pode ser um considerado um sinal de ausência;
    • Se for possível, trate para que o jardineiro de confiança faça manutenção no jardim;
    • Em caso de não contar com as facilidades anteriores, em ausências prolongadas peça ajuda a familiares ou vizinhos para que acendam e apaguem as luzes, recolham a correspondência, etc.;
    • Não deixe mensagens na porta advertindo sobre sua ausência, nem chaves ocultas.

      Outros
      Previna-se contra a ação dos marginais não ostentando objetos de valor como relógios, pulseiras, colares e outras jóias de valor. Evite passar em ruas ou praças mal iluminadas.
    • Se sentir que está sendo seguido, entre em algum estabelecimento comercial ou atravesse a rua.
    • Não saia com grandes quantias de dinheiro ou cartões de crédito se não houver necessidade.
    • Não abra a carteira ou a bolsa na frente de estranhos. Separe pequenas quantias de dinheiro pelos bolsos para pagar passagem, café, cigarros etc.
    • Ao sair sozinho, procure sempre ficar no centro da calçada e na direção contrária ao trânsito. Fica mais fácil perceber a aproximação de um veículo suspeito.
    • Ao retornar, notando algum sinal estranho (porta aberta, luzes acesas, etc.), não entre em casa, chame a polícia.

      Cuidado ao caminhar na rua
    • Um suspeito precisa estar perto para realizar uma abordagem.
    • Ao desconfiar de alguém, observe suas mãos e olhos, caso seja possível. Além disto, mantenha sempre uma distância aproximada de 20 metros para dificultar a ação.
    • Observe também se a pessoa que está mais próxima carrega alguma coisa nas mãos, como uma camisa enrolada, pois embaixo dela poderá haver uma arma.
    • A preferência sempre recairá sobre quem estiver desatento. Portanto, a atenção é um fator essencial para evitar que algo de mal ocorra.

      Saiba que o bandido
      Sempre seleciona suas vítimas e nunca quer ser exposto, bandido não quer ter trabalho e sim algo fácil.
    • Sempre irá escolher o mais exposto, ou seja, quem estiver mais despreparado e desatento.
    • Durante um assalto o bandido está nervoso e com medo
    • Reagir é uma atitude de altíssimo risco

      Ao presenciar um assalto
      Mantenha-se afastado do local, evite interferir para não colocar em risco sua integridade física. Lembre-se: o assaltante não tem nada a perder. Ligue para o telefone 190 e repasse as informações possíveis. Após a saída do delinquente, procure ajudar a vítima

      Se Possui um comércio
    • Disponha de boa iluminação, especialmente no exterior, evitando deixar cantos obscuros que permitem aos delinquentes ocultarem-se.
    • Preocupe-se com que o número do seu estabelecimento seja facilmente visível de dia e de noite, de modo que os a polícia e os serviços de segurança não percam tempo procurando o lugar em caso de emergência.
    • Coloque cortinas, grades metálicas para acessos e lâminas auto-adesivas para proteger a vitrine.
    • Se for possível, instale câmaras de vídeo de alta definição e equipamentos de gravação (preferentemente digitais) nos pontos críticos: acessos, vitrines com espécies de valor e caixas de pagamento.
    • Instale a caixa de pagamento longe dos acessos, protegendo-a com vidros grossos e dispondo de gavetas para guardar o dinheiro.
    • Antes de entrar no local, preste atenção se há pessoas estranhas no entorno. Ante a dúvida, distancie-se do lugar e chame aos a polícia.  Em caso de assalto ou roubo, jamais enfrente aos delinquentes.

      Se Possui um escritório em um prédio
    • Se for necessário, substitua a porta de acesso por uma porta de segurança (reforçada e ancorada nos quatro lados).
    • Ao alugar um novo escritório, recomenda-se colocar fechadura dupla, trocar as chapas e entregar cópia das chaves só às pessoas de sua confiança.
    • Solicite na zeladoria que não se permita o acesso a ninguém sem seu prévio consentimento.
    • Instale um interfone para identificar sempre a quem deseja ingressar antes de permitir-lhe o acesso, ou nessa impossibilidade, coloque um “olho mágico” na porta.
    • Deixe sempre fechadas as janelas, especialmente aquelas que dêem para terraço ou sacadas.
    • Não dê informação de confiança ao pessoal do edifício, zeladores, faxineiros, etc

      No interior da sua empresa
    • Evite que pessoas estranhas circulem livremente pela empresa, delimitando as zonas acessíveis e assegurando que o acesso a setores restringidos seja acompanhado de um funcionário.
    • Instrua a todo seu pessoal sobre normas básicas de segurança e saber como proceder diante de distintas situações de urgência, deixando em um lugar visível os números telefônicos para emergências.
      Se detectar a presença de estranhos no edifício ou gente desconhecida trabalhando fora de horário, esteja atento e ante qualquer dúvida, comunique-se com a polícia e/ou com sua empresa de segurança, à medida que ela outorgue


      No Brasil 95% de todos os disparos de alarmes são falsos
      A ocorrência de alarmes falsos, além de causar incomodos a vizinhos e proprietários de sistema de alarme, ainda ocasiona uma certa descredibilidade no sistema de Segurança Eletrônica.
      A Virtuas luta diariamente para reduzir aos menores índices a ocorrência de alarmes falsos, porém, é de suma importância que o cliente se conscientize e tome medidas para evitar a ocorrência desses disparos falsos.

      Há algumas medidas que você pode tomar para evitar a ocorrência de disparos falsos:
      Ao sair de casa, assegure-se de que todas as janelas e portas estão bem fechadas. Com o vento, as cortinas podem se movimentar causando disparos
      Antes de deixar o imóvel, verifique se seus animais de estimação estão em setores do alarme que podem detectar o movimento. Caso esteja, coloque seus animais em setores onde o alarme não irá detectá-los
      Confira se as janelas e portas estão bem fechadas, para evitar que a mesma se abra
      Os detetores do movimento podem ser ativados por animais de estimação ou pelo movimento dos artigos de decoração afetados pelo fluxo do ar. Os sensores do alarme podem ser ajustados ou o sistema pode ser operado com os sensores contorneados se você desejar armar seu sistema quando você ou seus animais de estimação estiverem para dentro do ambiente.
      Verificar periodicamente a integridade dos contatos e as portas e as janelas a que são unidos. Como os artigos de decoração mencionados acima, as portas e as janelas que estão suficientemente “frouxas” podem ser afetadas por correntes internas e externas do vento.
      Evite abrir e-mails  de remetentes desconhecidos; se  forem abertos e estiverem acompanhados de arquivos anexos, não   abra tais anexos em hipótese alguma. Geralmente são arquivos executáveis que se infiltram no seu computador.
      Crie senhas aleatórias, mesclando letras e números e procure alterá-la periodicamente, evite usar nomes que possam facilitar a ação de Hackers como data de aniversário, numero do telefone, datas comemorativas e nomes de familiares ou animais de estimação.


    Segurança para computadores e informática
    Evite abrir e-mails de bancos e órgãos oficiais como Receita Federal, TRE, DETRAN e SERASA. Essas instituições não enviam e-mails, a não ser que seja solicitado pelo usuário.Faça instalação de programas antivírus, de preferência para fabricantes conhecidos, e evite programas piratas.

    • Fazer uso de Backup (cópia de segurança) em arquivos importantes.

    • Escolha sites conhecidos

    • Certifique-se da segurança do site. Ele deve ter um ícone de cadeado na parte inferior da tela.

    • Só digite números pessoais como identidade, CPF ou cartão de crédito em sites criptografados (essa técnica de segurança ‘‘embaralha’’ as informações para que só os computadores do site consigam desvendar o real significado de suas informações pessoais). Para saber se a empresa conta com esse processo, procure o link que descreve as formas de pagamento e condições de segurança.

    • Verifique se os dados do seu cartão de crédito ficam armazenados no banco de dados da loja virtual. Os melhores sites são os que não salvam esses dados.

    • Imprima todas as etapas da negociação feita pela Internet. Inclusive a descrição do produto, os termos de pagamento, condições e a garantia.

    • Evite deixar em seu computador pessoal (PC) senhas gravadas ou o uso da função auto-completar.

    • Não forneça dados pessoais em salas de relacionamento ou bate-papos on-line. Os criminosos são capazes de desvendar senhas com apenas algumas informações pessoais.

    • Nunca divulgue número de cartão, conta bancária ou senha por e-mail.

    • Os pais devem ficar atentos e monitorar os contatos e relacionamentos que envolvem crianças e adolescentes, principalmente durante a madrugada